8 de set de 2010

Mulheres africanas, poligamia e a balada de amor ao vento

O "mundo" anda escandalizado com a pena de morte de uma iraniana acusada de adultério  ela levou 99 chibatadas devido a uma fotografia mas esse caso não chega a representar nem um 1% das agressões que as mulheres sofrem por preconceito de gênero.

Esse ano não fui a feira do livro do Pará e que tinha como tema  "África que fala portugues". Para afogar minha tristeza por não ter ido a XIV Feira Pan Amazônica do Livro. Procurei na web algo sobre literatura africana de língua portuguesa acabei por encontrar o site África e africanidades vasculhando achei um artigo de Pamela Maria do Rosário Mota, Graduanda em Letras – UFRJ e bolsista de iniciativa científica pela CNPq/PIBIC no Projeto: "Pelas trilha das poesias e da pintura: Angola, Cabo Verde e Moçambique"

Balada de Amor ao Vento é o primeiro romance da escritora Paulina Chiziane. O enredo reflete e discute sobre o regime patriarcal e a poligamia existentes em algumas “tribos” do país africano e sobre os aspectos culturais que regem as mulheres moçambicanas, cujo papel na sociedade é delimitado e impregnado de sofrimento, submissão e dor. Talvez por ter sido escrito por uma mulher, o livro possua um detalhamento especial dos elementos da natureza, dos aspectos religiosos e da estrutura política-social de Moçambique que são inseridos no universo feminino. (Mota, Pamela Maria do Rosário. Balada de amor ao vento: questionamentos sobre as tradições moçambicanas. Revista África e Africanidades - Ano 3 - n. 3, agosto, 2010.)
Fiquei curioso em ler o romance vou ver se encontro para postar aqui...

O amor como Jesus pregou anda em falta...

Bom o romance eu ainda não achei mas vou colocar aqui o artigo que faço referência.

Balada de Amor ao Vento