9 de out de 2009

Comece outra vez

Neste clima de Círio trago para voces uma parábola que de certa forma representa o espírito desta época do ano muito especial.
Comece outra vez


  Era uma vez um home teimoso. Montou uma pequena fábrica no fundo do quintal de sua casa. Para isso, investiu tudo o que tinha, inclusive vendeu as jóias da esposa. Após dois anos de intenso trabalho, o produto foi considerado sem qualidade, portanto, rejeitado. Muitos teriam desistido, mas ele não . Voltou à escola, estudou mais dois anos e aprimorou a mercadoria, que foi aceita. Quando tudo se encaminhava, veio a guerra, e sua pequena fábrica foi bombardeada. O homem não se deseperou e a reconstruiu. Mas aí foi a vez de um terromoto liquidar sua empresa. Mais uma vez ele se recusou a entregar os pontos: construiu novamente a fábrica. A guerra chegou ao e seguiu-se uma grande escassez de gasolina em todo o país. Para nada valiam sua empresa e seus automóveis. Ele entrou em pânico e desistiu? Não.

Criativo, ele adaptou um pequeno motor à sua bicicleta e saiu às ruas. Os vizinhos ficaram maravilhados e queriam as chamadas "bicicletas motorizadas". A demanda de motores aumentou muito, e ele ficou sem mercadoria. Estava de novo no ponto zero. Decidiu montar ele mesmo uma firma para desenvolver sua invenção. Mas não tinha dinheiro e recorreu às quinze mil lojas espalhadas pelo país. A maioria recusou, mas um pequeno grupo acreditou  na idéia, e a fábrica tornou-se um sucesso.

Para encurtar a história, esse homem existiu e se chama Soichiro Honda. A empresa, fundada por ele, é uma das maiores multinacionais (acredito que termo mais correto seria transnacional) do mundo, um dos impérios da indústria automobilística, a Honda Corporation.

O mundo está repleto de pessoas insatisfeita e daquelas que desanimam por fracassarem apenas uma vez. A história nunca falará delas. Entretanto, existem aquelas que nunca aceitam a derrota, como Soichiro Honda.

Uma derrota não significa que você é incompetente e está destinado a fracassar. Com a experiência adquirida no fracasso, recomece, aproveitando as lições. O único fracasso que não vale apena é aquele que nada nos transmite. O erro sempre pode nos ensinar alguma coisa.

Essa história eu retirei do livro Histórias de vidas, Parábolas para refletir de autoria de Dom Itamar Vian e Frei Aldo Colombo pela editora Paulinas.




 Caso queiram acompanhar as mensagens de Dom Itamar Vian é só acessar o site da Arquidiocese de Feira de Santana.