Pular para o conteúdo principal

COPA DO MUNDO TUPINIQUIM



APÓS 64 ANOS BRASIL SEDIA COPA NOVAMENTE




Desde aquela fatídica final em que o Brasil perdeu para a seleção do Uruguai, o brasileiro vem sonhando em poder acompanhar a seleção canarinho em ação numa copa do mundo em terras verde-amarelas. Entretanto com a alavancada da violência, a saúde em estado deplorável e a educação deixando a desejar muitos se perguntam o Brasil hoje está preparado para sediar um evento esportivo desta grandeza?



Atualmente o país precisa resolver problemas relacionados às áreas de transportes, segurança e outras. O que suscita novos questionamentos, como por exemplo, a copa é mesmo tão importante? Para o macapaense José Roberto, 55, sim “acompanho a seleção desde quando era jovem e puder vê-la bem perto seria um sonho realizado” os defensores da copa afirmam que com a realização da copa no Brasil as autoridades se virão obrigadas a implementar melhorias em setores importantes uma vez que as atenções da mídia internacional estarão concentradas aqui.



Para a estudante de cursinho pré-vestibular Ana Carolina, 20, o assunto não merece tantos holofotes “é uma vergonha ficar discutindo copa do mundo enquanto milhares de brasileiros estão morrendo de fome, em filas intermináveis ou no transito”, para os que são contra a copa do mundo o governo irá aproveitar o evento para mascarar a realidade modificando paliativamente alguns setores e mostrar para o mundo um Brasil inexistente e mais quando a copa terminar todas as mazelas ressurgirão e o sonho de um país melhor continuará sendo isto, um sonho.



Pará



No estado do Pará a ansiedade por parte da população é grande uma vez que se aproxima a divulgação das cidades que sediarão jogos e a possibilidade de ver o Brasil jogando no mangueirão (Edgar Proença) agita mentes e corações de apaixonados por futebol ainda mais com a divulgação de investimentos na área de esporte por parte do governo de Ana Júlia Carepa o que levou alguns analistas de plantão do cunho de Gerson Nogueira afirmar que se trata de ótima oportunidade para a governadora garantir um segundo mandato, especulações a parte a realidade é dura. Belém sofre de inchaço populacional e o transito há anos está estrangulado faltam vias de acesso e atualmente um percurso de poucos quilômetros demanda uma grande perda de tempo.

LÁRI-LÁRI PARAENSE



Faltando menos de seis meses para a divulgação das cidades-sedes o que se observa em Belém é uma lentidão vergonhosa, pois, a "metrópole da Amazônia" sequer possui um comitê responsável para avaliar e executar as medidas de implementação de obras que qualifiquem a cidade das mangueiras entre as que sediaram jogos do mundial. Não há um sistema hoteleiro decente que abrigue a avalanche de turistas, há apenas uma via terrestre de acesso para capital e que já não dá conta do contigente diário de veículos, A insegurança se alastra em todas as classes desde o conflito de terras no interior do estado até a desestruturação espacial e social presente na Região Metropolitana de Belém.


Talvez isso explique a situação melancólica em que se encontra o futebol do Pará. A inteligência política e empresarial está extinção em nossas terras.





PREVISÃO DE INVESTIMENTOS DO PAC






A falta de sintonia entre a prefeitura de Belém (em término de mandato) e o governo estadual causará sem dúvida um adiamento para o início das obras e ações relacionadas à copa do mundo, restam saber se com a liberação das verbas, orçada em R$ 170,8 milhões de reais do PAC (Plano de Aceleramento do Crescimento), se algum recurso será destinado recursos para o esporte.
Ao visitar o site oficial do PAC, (http://www.brasil.gov.br/pac/), percebe-se a ausência valores referentes ao esporte e lazer apesar de um dos lemas do governo seja “(...)levar benefícios sociais para todas as regiões do país (...)”



Percebe-se que as dificuldades são gritantes e realizar uma copa sem passar vexame implicará num enorme jogo de cintura por parte das autoridades além de proporcionar assunto por um bom tempo para as bolsas de especulações, ou seja, o ano de 2014 promete.

Postagens mais visitadas deste blog

CONTOS AMAZÔNICOS

Esse post é para quem curte contos, vou por um conto do livro O REBELDE E OUTROS CONTOS AMAZÔNICOS, de Inglês de Sousa publicado pela editora scipione com Ilustrações de Fernando Vilela e com Organização de Maria Viana. O livro contém os contos: O Rebelde, A Quadrilha de Jacó Patacho, O Donativo Do Capitão Silvestre e o Voluntário. Mas antes de colocar o trecho do livro é melhor ver o que o livro diz a respeito do autor.







Inglês de Sousa:

A publicação de Contos Amazônicos, em 1893, deu-se em tempos de agitação política e de efervescência intelectual. Nesse ano saíram Missal e Broquéis de Cruz e Sousa, títulos que inauguraram novo momento literário brasileiro, o Simbolismo.

Para o crítico Araripe Júnior, "a produção literária (...) foi relativamente abundante, pelo menos os jornais e as revistas andaram muito pejadas de pequenas publicações narrativas variando desde o grotesco até o épico".


José Veríssimo apresentou julgamento bem diferente sobre o movimento literário desse ano tã…

Verde Tempo

Hoje ajudando minha esposa a fazer um trabalho da escola que falava sobre trovadorismo relembrei minhas aulas do ensino médio.  A Cantiga do desencontro reavivou lembranças de algo que não volta mais eramos adolescentes sonhando com a universidade; família, emprego e outras obrigações eram uma imagem distante mas de repente as coisas mudaram será que foi eu que mudei? Não sei mas as passagens da vida sempre deixam um gosto de perda, algo que o vento sopra e leva embora e o coração fica espremido entre uma lágrima e outra.  Tudo passa muito rápido alegrias e tristezas se esbarrando dentro de um tornado e eu dentro dele. Saíamos das aulas correndo atrás dos nossos sonhos mas nem tudo é como pensávamos, surpresas, mudanças de rota.
Lágrimas que escorrem e soluços que abafam...
Cantiga do desencontro
"Ai flores do verde tempo, Cheias de sol e distância... Em que canteiro deixaste O aroma de minha infância?
Ai flores do verde tempo, Alvas luas que semeei... Em que camada de terra Mor…

PALAVRÃO NÃO É PORNOGRAFIA

Texto publicado originalmente no O PASQUIM em dezembro de 1969 nº 25 Como o Texto é dividido em 5 partes vou (ou melhor iria pôr) pôr em 5 post devido a extensão do artigo de Rubem Fonseca. Rubem Fonseca
I – PORNOGRAFIA?
Pornografia, do grego pornographos (porne, prostituta + graphein, escrita) significava, originalmente a descrição de prostitutas e da prostituição em relação à higiene pública. Hoje, segundo os dicionários pornografia é o caráter obsceno de uma publicação ou, ou de uma coleção de pinturas.
Quando se diz que alguma coisa é pornográfica é porque essa coisa descreve ou representa: a) funções sexuais ou funções excretoras; b) mediante, em certos casos, a utilização de nomes vulgares comumente conhecidos como palavrões. O termo pornografia, quando utilizado aqui, terá sempre essa acepção.
Freud, no prefácio do livro Scatologie Rites, de Bourke, diz que é comum serem as pessoas afetadas por qualquer coisa que as relembre inequivocadamente da natureza animal do homem... Eles escon…