31 de mar de 2008

Ciências Humanas

Por: Bruno Figueiredo

Como elaborar métodos e objetivos para compreender ou estudar a sociedade humana? Provavelmente esta foi uma das perguntas levantadas quando os primeiros estudiosos fizeram quando as ciências humanas ainda estavam surgindo isto por volta do século XIX.

A grande questão era propor algo que fosse cientificamente respeitado e aceito no mundo acadêmico, logicamente houve resistências.
Uma provável explicação a respeito das resistências deve-se ao tempo áureo do empirismo e determinismo.

Inicialmente buscou-se emprestar, segundo Marilena Chauí, conceitos, métodos e técnicas utilizadas pelas ciências naturais.

O suscitou dúvidas e desconfiança da comunidade científica, de acordo com Chauí, ter o homem como objeto ocasionou uma série de dificuldades como a condicionar humanos a situações pré-existentes, dificuldade quase inexistente para as outras ciências.
Não há como negar a influência de correntes de pensamentos como o positivismo, relativismo, tiveram sobre as ciências humanas. Obviamente cada um imprimiu suam “marca” teórica. O que não quer dizer que são modelos idéias ora eles são frutos de sua época, ou seja, estavam infelizmente carregados pelo preconceito e estigmatizarão seja a grupos de indivíduos seja em relação a outras áreas do conhecimento.

As ciências vieram consolidar-se como ciência específica somente nos anos 20 do século XX com a contribuição da fenomenologia, do estruturalismo, e do marxismo.
A quebra epistemológica deu-se através da introdução por parte da fenomenologia da noção de significação como um conceito que permite diferenciar internamente uma realidade.

O estruturalismo corroborou com o abandono das explicações mecânicas de causa e efeito, também no sentido de que

"As estruturas são totalidades organizadas segundo princípios internos que lhes são próprios e que comandam seus elementos ou partes, seu modo de funcionamento e possibilidades de transformação temporal ou histórica. Nelas, o todo não é a soma das partes, nem um conjunto de relações causais entre elementos isoláveis, mas é um princípio ordenador, diferenciador e transformador. Uma estrutura é uma totalidade dotada de sentido”.
(Convite a Filosofia, Chauí, Marilena. Pg. 274.)



O marxismo veio separar os resquícios de “espiritismo” ou ocultismo ainda presente em boa parte das ciências e veio a instituir as relações homem e natureza dando início (oficialmente) as primeiras instituições sociais como a família, agricultura e outros.

Focalizando na questão econômica, “as primeiras instituição são econômicas”, ou seja, há criação de elementos reconhecidos e aceitos por todos e que sustentam e legitimam as instituições sociais.

Mesmo com inflência de diversas correntes teóricas, as Ciênias Humanas tiverarm, e ainda tem dificualdade em obter resultados devido seu complexo objeto de estudo.