Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2007

ARQUITETURA DA DESTRUIÇÃO

por: Bruno Figueiredo

O Nazismo foi um regime político autoritário que se desenvolveu na Alemanha durante as sucessivas crises da República de Weimar, entre os anos de 1919 e 1933.

O filme Arquitetura da Destruição mostra o quanto o ideal de beleza e higiene foi fundamental para a aglomeração e desenvolvimento do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP). De caráter, evidentemente racista o partido de Adolf Hitler pregava a superioridade da raça ariana e espalhava o ódio contra os judeus, miscigenados, doentes mentais entre outros grupos sociais.

Hitler idealizava uma "nova" Alemanha recheada de obras faraônicas, um conceito de moderno a custa de muito sangue e escravizadão de outros povos.

O líder do partido nazista propunha uma solução paradoxal, ou seja, dependendo das circunstâncias o NSDAP mostrava-se como o novo, o moderno que veio para libertar a Alemanha da humilhação da Primeira Guerra "Mundial", em outro ponto Hitler proclamava a restituiç…

A REVISTA BRAVO! E CIDADE DE DEUS

Por Bruno Figueiredo, Deliane Melo e Kedma Souza.
Este trabalho teve como base o livro do escritor José Luis Braga "A Sociedade Enfrenta a Sua Mídia" e da revista Bravo! De setembro de 2007 e tem por objetivo de elucidar e levantar questões de como o jornalismo se relaciona e sua crítica à televisão. E para a concretização desses objetivos utilizamos o capítulo 13 do livro de José Luis e a edição de setembro de 2007 da revista Bravo! A revista Bravo! Faz uma abordagem crítica da televisão de conceitos de cultura e suas variáveis tais como a qualidade da programação, dinamismo, relevância, interferência (positiva ou negativa) na sociedade enquanto que o escritor José Luis Braga, em seu livro "A sociedade enfrenta a sua mídia" (capítulo 13), analisa de que forma o jornalismo impresso se relaciona com a mídia televisiva. Evidenciando a "atualidade", ou seja, aquilo que está acontecendo agora e seus reflexos. As análises da revista Bravo! E a dos jornais diári…

DIVINA DESORGANIZAÇÃO

DRAMA, FÉ E CARNAVAL NAS RUAS DA CIDADE VELHA
Por Marcos Lima
Aconteceu na sexta-feira da semana passada o “Auto do Círio”, uma festa que há treze anos reúne nas ruas do bairro da Cidade Velha em Belém pessoas de todas as classes cantando e dançando em homenagem a Virgem de Nazaré de uma maneira muito diferente. Como projeto deextensão, o auto acontece para consolidar suas ações artísticas e sociais para comunidade durante o ano com a realização do evento na antevéspera do círio com participação acadêmica e da comunidade de forma ativa.Durante a concentração na Praça do Carmo, a única coisa que se via eram pessoas fantasiadas ensaiando suas coreografias, dando estímulos para o público que esperava ansiosamente pelo inicio do espetáculo. Por falar em começar o espetáculo que estava programado para começar as 19:00h, começou uma hora depois, devido problemas no áudio, porém isso não tirou o brilho do espetáculo nem desanimou que esperava pra ver o cortejo.Ainda na concentração o evento in…

Círio de Nazaré, uma visão pelo viéis da semiótica.

Por: Bruno Figueiredo

O Círio de Nazaré, evento religioso realizado na região metropolitana de Belém, possui um alto grau de sentimento emanado pelos romeiros, ou seja, possui segundo os estudos de Charles Sanders Peirce um alto teor de primeiridade. É sem dúvida a experiência e o compartilhamento de sensações coletivo e que ficam exemplificados nas inúmeras demonstrações de fé.
A busca incessante de se obter uma graça seja ela material ou não move milhões de pessoas a agirem, em alguns instantes, de forma homogênea como, por exemplo, a levantarem em um só instante suas mãos, entoarem hinos etc. Isto basea-se no estudo “semioticista” de Peirce.
E a secundidade onde ficaria? Ficaria na figura do comerciante este detentor de uma “binariedade” ele estaria ali somente por força do lucro? Muitos sim entretanto não há como ser contagiado por sentimentos positivos. E esta “luta” interior leva a imagens insólitas como a do homem que levanta sua carteira de trabalho pedindo ajuda divina.
A tercei…